A HISTÓRIA DE TAIÚVA.

    Por volta do ano de 1880 já existiam propriedades agrícolas na região onde se encontra  TAIÚVA.    O senhor Antônio Simões de Freitas e seus irmãos , José e João e os senhores Antônio Basílio da Cunha , Antônio Zeferino Gonçalves e José Elias Lopes sendo possivelmente estes os primeiros moradores desta região.   No ano de 1892 aportaram aqui os senhores Manoel Francisco Domingos e Serafim Gonçalves Colletes.  Este ultimo formou a fazenda "Lagoa".   Na mesma época os irmãos Izidro ,João , Generoso , Benigno , Indalécio , José Bento e Avelino Geraldes Martins formaram as fazendas , " São Roque , Santa Teka , Santo Antônio e a fazenda do aço' que mais tarde foi vendida ao Coronel Cabral.  Em seguida chegaram aqui os senhores Agostinho Soares , Nemésio Martins e seu filho Julião Martins Ramos.  No ano de 1886 adquiriram propriedades aqui os senhores Antônio Gonçalves Colletes , que formou a fazenda "Boa Esperança", seguido depois pelo Sr. Manoel Bernardo de Souza , Coronel Cabral e José Bento do Nascimento que adquiriu a fazenda "Santa Maria". Entre essa época e o ano de 1900 , aportaram aqui mais os senhores Pedro José Pedrinho, Julio Soares , Antônio Lourenço Bailão e o Coronel Antônio Joaquim Ortiz que fundou a Fazenda "Gironda" no ano de 1901. Neste ano TAIÚVA ainda não existia.  O surgimento de TAIÚVA esta ligado ao surgimento da Companhia Paulista de Estradas de Ferro , na sua marcha de penetração vindo de JABOTICABAL e BARRETOS . O primeiro núcleo de habitantes que se tem noticia dentro do atual município de TAIÚVA , data de 1901, quando o português Antônio Ribeiro Barata e Francisco Ribas , levantaram o primeiro esteio.  Edificaram um barracão de madeira onde montaram um armazém de secos e molhados e instalaram uma panificação.  Quando a ferrovia atingia a serra de IBITIRAMA , os trabalhadores e seus engenheiros supriam-se no armazém daqueles pioneiros. Novas construções foram surgindo e a paisagem começa a modificar-se. Em 1902 , João Faria e José Mineiro , cortaram uma arvore da propriedade do senhor Pedro José Pedrinho , que depois de lavrada fabricaram um cruzeiro com o qual foi levantado no local onde seria construída uma capela , onde então , atraídos pela fertilidade do solo , antevendo progresso com a inauguração da Estação da Paulista começaram a aportar novas famílias. Naquele local onde a estação estava sendo construída , devisava-se num tronco de cedro , a inscrição YTAYÚVA . Neste mesmo ano os habitantes do lugar promoveram a celebração de uma missa campal pelo vigário de JABOTICABAL , Cônego Núncio, em fins de 1902, quando a estrada de ferro já éra uma realidade, o local já éra conhecido por TAIÚVA , com a efetivação da construção de um edifício da Companhia Paulista .      A estação estava inaugurada.   Nova celebração foi promovida , era uma missa inauguradora da capela de cujos trabalhos datam de princípios de 1903.    Concluída, foi adquirida uma imagem de "Santo Antônio", escolhida pêlos moradores como Seu padroeiro.   O primeiro capelão foi o reverendíssimo Fernando Louzada que exerceu o cargo até fevereiro de 1911. A primeira professora em TAIÚVA foi a senhora Ana de Oliveira Ferraz. Foi ela a responsável pela formação cultural da primeira geração de taiuvenses, sendo que muitos deles alcançaram papel preponderante no campo da ciência, comercio e industria, tais Como o Dr. João Cambauva ,Dr. Dorival Cardoso , etc... Para se Ter uma idéia do vertiginoso surto de progresso que TAIÚVA assistiu em apenas cinco anos , basta dizer que já em 1907 a nossa população era de aproximadamente 1000 habitantes. Existiam mais ou menos 200 casas, numerosas fazendas de café , varias maquinas de beneficiar café e arroz , quatro hotéis, duas farmácias , dois médicos e um cirurgião dentista.  A estação da Companhia Paulista éra a mais movimentada da região. Em 08 de abril de 1908 , fundou-se o primeiro jornal sendo os seus editores os senhores Lindolpho Maia e Ernesto de Carvalho. Ao lado do jornal duas fabricas de cerveja e gasoza surgiram , da propriedade do senhor José Bordignom e de Lopes e Ricardo. Em 08 de abril de 1909 , toma posse o primeiro sub-prefeito, o Dr. Emílio Winther Crino.   Porém o desejo do nascimento de uma sociedade política capaz de garantir a sua verdadeira integração social onde a sua sombra pudesse intensificar as relações de natureza econômica, Política e social ,levou um grupo de idealistas , tais como : Dr. Joaquim Alexandre Buck; Carlos Frederico Gianini; Osvaldo Pereira; Pedro Rapetti; Caetano Pitelli; César Zambrano; Dr. João Romitto; João Silveira Rocha e tantos outros, a trabalhar em pról de Taiúva município. Esta pleidade de homens viu logo a idéia concretizada, graças ao apoio do senhor Auro Soares Moura Andrade , na época Deputado Estadual. Logo o primeiro passo foi dado com a convocação de uma assembléia pública a qual foi realizada no auditório do Cine Carlos Gomes. Desta reunião foi designada uma comissão composta pelo Presidente - Sr. Coronel Joaquim Gonçalves Colletes , Vice-Presidente - Dr. José Caubi Campello Bessa , secretario - Dr. Joaquim Alexandre Buck , tesoureiro - Carlos Frederico Gianini , membros - Osvaldo Pereira , Caetano Pitelli , Dr. João Romitto , João da Silveira Rocha , Alfredo Bernardes de Souza e Augusto Gonçalves Colletes. Um dos primeiros frutos colhidos por esta comissão foi a determinação dos órgãos competentes para a realização de um Plebiscito , que ocorreu no dia 24 de outubro de 1948 Com votação da chapa "Sim". Finalmente em dezembro de 1948 foi votada pela Assembléia Legislativa do Estado a lei que apoiava o Município de Taiúva desmembrando-o de JABOTICABAL. Nesta fase da história de TAIÚVA , nunca é demais lembrar da ajuda emprestada pêlos Senhores Dr. Auro Soares de Moura Andrade ; Dr. Euclides Castro Carvalho; Dr. Ulisses Guimarães e Dr. Antônio Cunha Bueno. Efetivada a criação do Município de TAIUVA , realizou-se no dia 13 de Março de 1949 a Eleição Municipal para os seus primeiros mandatários. A posse foi efetivada no dia 09 de Abril de 1949 , que se tornou data comemorativa da emancipação do Município.

        Pesquisa  publicada  no Jornal  "O Taiuvense"  , em 27 de Janeiro de 1952.

       Certidão que desmembra Taiúva de Jaboticabal.


Plebiscito para a emancipação de Taiúva , 24/10/1948.

Taiúva ( Sim ) - 1259 votos

Taiúva ( Não ) -   17 votos

Com este resultado Taiúva emancipa-se de Jaboticabal e tem sua primeira eleição, 23/03/1949.

Prefeito eleito : Dr. José Caubi Campelo Bessa

Vereadores:

Joaquim Colletes - 157 Votos

Jorge Oliveira - 81 Votos 

Danton Ribas - 60 Votos

Oswaldo Pereira - 47 Votos

José B. Fonseca - 39 Votos

Olavo Geraldes - 35 Votos

Eloy Colletes - 31 Votos

Brasiliano Gonçalves - 26 Votos

Bernardino Lopez - 27 Votos

Sérgio Lançoni - 27 Votos

Caetano Pitelli - 21 Votos

Pedro Spina - 14 Votos

Sebastião Fernandes - 13 Votos


   SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DE TAIÚVA.

DISTRITO DE TAIÚVA , HISTÓRICO DE SUA FUNDAÇÃO , 1917 - 1918.

    A povoação esta colocada em uma área de três alqueires doada como patrimônio sobre a invocação de Santo Antônio , pelo Sr. Antônio Simões de Freitas . A paróquia a mais de 15 anos  , tendo sido o seu primeiro vigário o Revmo Pe. Louzada e Louzada de nacionalidade espanhola , que oficializava segundo a tradição , em uma tosca e pequena capela ereta no mesmo lugar onde se ergue o elegante templo  , o qual foi inaugurado devido aos zelos sacerdotais  do ex vigário desta paróquia Revmo Pe. Augusto César Paes , atualmente pároco da freguesia de Ibirá distrito de São José do Rio Preto , deste estado . As terras do distrito são de primeira qualidade , sendo a principal cultura o café  , que produz vantajosamente. O lavrador de Tayúva  , porém , não descuida da policultura , cultivando em grande escala o arroz e outros cereais.  A sua grande exportação que atesta o grande movimento da Estação da Companhia Paulista    " Fepasa "    desta localidade é a nossa afirmativa.    A localidade é servida pela companhia telefônica do Sr. Albino Rodrigues Trindade  , tendo nada menos neste momento  , de 50 aparelhos , da qual é operador local o Sr. João Pinto de Azevedo.       É iluminada pela Companhia de Força e Luz  de Jaboticabal , séde deste distrito. Tem 50 lâmpadas de 50 velas a iluminação publica , e a iluminação particular abrange quase que a totalidade dos prédios de habitação do perímetro urbano  , cujo momento atualmente atinge nada menos de 300.    É encarregado da estação local o Sr. João Epifhanio do Nascimento. A localidade tem quatro escolas estaduais sendo duas do sexo feminino e duas do sexo masculino , cuja freqüência é lisonjeira.

    A estação ferroviária de Tayúva se encontra a  mais de 500 metros acima do nível do mar e o distrito de paz foi criado pela Lei Estadual numero 1143 , de 25 de Novembro de 1908 , cujo texto é o seguinte...

    Faço saber que o Congresso Legislativo do Estado decretou e eu promulgo a seguinte lei :     Artigo 1º - Fica criado o distrito de paz de Tayúva , no município e comarca de Jaboticabal , com as seguintes divisas : Principiando na ponte da estrada do Taboado sobre o Rio Turvo , segue por este até a barra do Córrego do Barreiro , à margem direita , e por este acima até sua cabeceira ; dai seguem em rumo até a cabeceira do Córrego Água Limpa , e deste em rumo até a cabeceira do Córrego Fundo ou Taquaral , por este até a estrada de Jaboticabal a Pitangueiras , por esta , tomando à direita  , até a Ponte Alta do Córrego Santa Rita  , por este acima até a linha divisória das fazendas Estiva e Grama ; dai tomando a direita , pelo mesmo espigão até a estrada do Taboado e , tomando à direita  , seguem pela mesma estrada até fechar o perímetro na ponte sobre o Rio Turvo.           Artigo 2º -  Revogan-se as disposições em contrario.  O Secretario de Estado  dos Negócios do Interior em 25 de Novembro de 1908 , assim a faça executar.

    M. J. Albuquerque Lins / Carlos Pereira Guimarães.


INDUSTRIAS , CARTÓRIO DE PAZ , SEU MOVIMENTO , AUTORIDADES , 1915 - 1918.

    A industria pastoril é no distrito de Tayúva objeto de carinho , pois existem diversos criadores caprichosos , que de preferência adotam o nosso incomparável "Caracu". Ha também alguma criação de suínos, caprinos , lanígeros e ovinos, cuja exportação não deixa de ser promissora. 

    O primeiro escrivão nomeado e ainda em exercício  , para este prospero distrito  , foi o Capm. João Cambauva , funcionário zeloso e distintíssimo cavalheiro que a todos cativa e atrai pela sua simpatia e bondade. Devido a sua bondade damos a baixo o movimento do seu Cartório e Tabelionato nos anos de 1915 e 1916. Casamentos em 1915 , foram 73 e em 1916 foram 70... nascimentos foram de , 460 em 1915 e 566 em 1916 ; Óbitos , em 1915 foram de 126 e em 1916 foram de 151.  Em 1916 foram propostas no Juízo de Paz do distrito 10 ações cíveis. Foram em igual período lavradas 106 escrituras no valor de réis 424:744$245. 

    As autoridades policiais do distrito neste momento são: Sub-Delegado : Cel. Serafim Gonçalves Colletes ; 1º Suplente : Guilherme Moura ; 2º Suplente: Gervasio Antônio Dourado; 3º ( Vago).  Escrivão de policia: José Pastore.  1º Juiz de Paz : Farmacêutico Augusto Esteves de Lima ; 2º Aprígio Ortiz de Camargo ; 3º Capm. Antonio Gonçalves Colletes. Suplentes : Avelino Geraldo Martins , Pedro José Pedrinho e José Saturnino da Cunha.  Exercem a função de Oficiais de Justiça os Srs. Caetano Curiolato e Juvenal Antunes. Exerce a função de Fiscal Municipal o Sr. João Fontes Basso e de Recebedor Municipal o Sr. Avelino Villela.  Exerce a Sub-Prefeitura Municipal neste exercício ( 1918 ) o Sr. Guilherme Moura , que vai prestando estimáveis serviços. Antecedeu-o no ano passado o Sr. Antônio Lourenço Bailão , acreditado comerciante nesta localidade e um dos seus primeiros habitantes , que prestou à população os melhores serviços do referido cargo.  

    Ésta localidade tem diversas associações organizadas que muito honram o espírito progressista de seus habitantes dentre élas se destacam a Sociedade Italiana Mutuo Socorro da qual é o presidente o Sr. Paschoal Bruno. Sociedade Espanhola da qual é o presidente o Sr. Amador Gonçalez . Clube Esportivo de Tayúva , fundada com a denominação referida , em 15 de Outubro de 1917, devido aos esforços do Srs. Antônio Maria Affonso , seu atual presidente , Orlando Puzzone , José Pastori Simão Benedito dos Santos e outros , vai prosseguindo como éra de se esperar na melhor ordem e progresso.  Banda Musical Lira de Apollo , Linha de Tiro Dr. Nilo Peçanha , Jornal " O Distrito " de que é Redator Proprietário  o Sr. Joaquim Umbelino Montemor e Jornal " O Palladio " sob a direção dos Srs. Maia e Pinto.

   DIVERSAS NOTAS. 

    Alem destes grandes veículos de progresso que Tayúva possui , que são facilidades do intercambio comercial por meio das boas vias de comunicações , por iniciativa do capitalista Cel. Serafim Gonçalves Colletes , do Sr. Avelino Antônio Martins e do Dr. Roberto Tood Loch  , engenheiro e outros cavalheiros estão se movimentando os trabalhos de uma Estrada de Ferro , de concessão Municipal  , que , partindo desta localidade , passando por Tayuassú , Pirangy e Yrupi vai tocar as raias do município  , em Córrego Grande.

    Um grupo de amadores , que tem como ensaiador o Sr. Lindopho Maia , professor da "Escola Brasil " , formou nesta vila um centro literário e artístico para a educação pelo palco , da qual fazem parte os rapazes da nossa melhor sociedade. A estréia foi em Novembro com o drama em três atos "O Erro Judicial " e a comédia em dois atos "Os Superticiosos ".

    A Vila tem aproximadamente 15 mil habitantes e 300 casas  , dista da sede do Município de Jaboticabal , 24 Kilometros. Ha diversas fazendas importantes no distrito  , cujos cafeeiros são bem cuidados  , dando as porcentagens máximas nas boas terras. A " Fazenda Boa Esperança " de propriedade do Capm. Antônio Gonçalves Colletes com 120 mil  cafeeiros superiores , distante de Tayúva 2 Kilometros  e de excelente estrada de autos , a  Fazenda  " São José " de propriedade do Capm. Joaquim Cambauva , zeloso Escrivão de Paz local e estimável cavalheiro.  

    Devido ao seu desenvolvimento e progresso intelectual , comercial , agrícola  e pastoril  , alem de ser centro de convergência das populações de Tayuassú  , especialmente , e de diversas fazendas importantes e bairros populosos , Tayúva reclama palpitantemente as suas Coletorias Estadual e Federal , que serviriam nos referidos distritos , ambos distantes da sede da comarca , cuja falta trazem sérios embaraços a laboriosa população e principalmente ao comércio.


EMPRESÁRIOS , COMERCIANTES E PROFISSIONAIS DE TAIÚVA NO COMEÇO DO SÉCULO.

    Dentistas : João Segismundo de S. Silva e Renato Pinto. - Barbeiros : Sebastião Alípio Montemor , João Batista da Silva e Jorge Assad. -  Alfaiates : Arthur Vicentini , José A. Biasi , José Sardella e Augusto Pimenta. -  Funileiro : Paschoal Lumieri. Oficina de Carpintaria e Ferraria : Marques & Minótti  , Henrique Sartori . - Carpinteiros : Joaquim Marques Ferreira , Gaspar Dias dos Santos , José Joaquim Gomes e João Amorim. - Pedreiros: Caetano Boarine , José B. Cardoso , João M. Cruz , José Rapetti , Arthur Lotti  e Luiz Antônio Rodriguez.  -  Empreiteiro de Obras :  Antônio Romano. - Representante da " Singers " : Abílio Silva.  -  Livrarias : Sebastião Alípio Montemor. -  Bazar Sertanejo : Antônio Lourenço Bailão.  -  Tipografia e Jornal : "O Distrito" , proprietário e redator , Joaquim Umbelino Montemor. -  Bilhares : João Garreta e Theolindo Augusto Fernandes. - Padeiros : Jesus Garrido Gomes e João Nardine.  -  Fabrica de Macarrão : Marquesani & Rigoh .  -  Fabrica de Sabão : João Carnevalli.  - Fabrica de Cerveja : José Bordignom e Antonio Lopes Sallada.  -  Negociantes : José Ferrari , Viúva Pinelli e Fhelippe Seba. - Compradores de Cereais : Martins & Lente , Francisco Saad & Comp. , Arré & Irmão , Donato Vito , João Neves , Jasão de Souza Freire.  - Escritório de Advocacia : Adv. Cel. Candido Brêtas , João Evangelista Homem  e solicitador Francisco Antonio Lustoza.  -  Empresa "Petit-Cinema":  Gervasio Antonio Dourado , arrendatário , Décio Carvalho Figueiredo.  - Estrada de Ferro Paulista :  Chefe da Estação Ferroviária  Cap. Euzébio Nunes. -  Corporação Musical "21 de Abril": Regente Joaquim Correia da Silva.  -  Seleiros : João Galletti e Francisco Arré. -  Sapateiros :  Concecio Daddamio , Affonso Vera  e José Augusto Guedes. -  Açougueiros : Joaquim O. de S. Lima , João Gonzalez e João Travagline. - Empregados Municipais :  Zelador do Cemitério - José Luciano , Lixeiro - José Pires Videira.


                                                      Fundadores da Cidade de Taiúva.

                                   

                       Primeira Foto: Antonio Simões de Freitas.            Segunda Foto:  Padre Augusto Cezar Paes.

           

         Primeira Foto:  Sr.  Antonio Lourenço Bailão e Família , negociante local e ex-sub-prefeito de Taiúva.  Segunda foto: De pé ao fundo , da esquerda para a direita: Cel. Augusto Esteves de Lima ; Frei Julião Buenafuente , vigário da paróquia ; Revmo. Francisco Manoel Gonçalves , vigário de Jaboticabal ; Cel. Serafim Gonçalves Colletes , capitalista industrial e chefe político ; Dr. Antonio Maria Affonso , médico residente em Taiúva. Sentados:  Da esquerda para a direita: D. Guaraciaba Correia de Lima , esposa do Cel. Augusto ; D. Catarina Colletes , esposa do Cel. Serafim Colletes ; D. Nactividade de Oliveira Affonso , esposa do Dr. Affonso.  Crianças: pequeno Antonio no dia do seu batizado ; Lydia Colletes , filha do Cel. Colletes e Judith , filha do Dr. Affonso , ao lado da ama.


Voltar