Curiosidades sobre a cidade de Taiúva.

   Segundo uma matéria publicada no jornal "O TAIUVENSE" , (ver foto abaixo) de 1952 , Portugal e Espanha firmaram um tratado de limites,ratificando solenemente em Tordesilhas à 07 de junho de 1493 aprovado pelo Rei da Espanha e de Portugal. Tratado este que determinava que Jaboticabal teria o seu território dividido, ficando a cidade sob o domínio de Portugal e a maior parte do seu território sob o domínio da Espanha. Diz ainda que os distritos de vila Novaes e Pirangi (1928) e também o distrito de Taiúva (1952) ficariam sob o domínio da Espanha. Entretanto os bandeirantes de São Paulo quebraram a linha do tratado levando os limites do Brasil para tão longe que um novo tratado foi estabelecido,o tratado de Madri ,de 1750 e o de Santo Idefonso em 1777 que modelaram o contorno do Brasil de hoje.

               

 Obs:  Antes do jornal "O Taiuvense", surgiram em Taiúva mais três jornais, "O Palladio", fundado em 08/04/ 1908 , sendo seus diretores os Srs. Lindolpho Maia e Ernesto de Carvalho."O Distrito" em outubro de 1915 , seu redator e proprietário era o Sr. Joaquim Umbelino Montemor , e em abril de 1917 surgiu em Taiúva o Jornal  "O Pirangi".


     Taiúva é também conhecida como a cidade dos casarões antigos da época do café,encontran-se em nossa cidade mais de 60 casarões construídos entre 1902 e 1960.  Todos são protegidos por uma lei municipal.    Entre eles se destacam o da Rua: Coronel Cabral , 233  conhecido como o casarão mal assombrado que esta abandonado a mais de trinta anos e o da Rua: Coronel Cabral , 64 que foi a primeira escolinha da cidade. A professora éra a Senhora Iracema Lustoza Pires ( D. Nenê ) que alfabetizou varias gerações lecionando de graça. Família Pires

Fotos da primeira escolinha de Taiúva e do casarão da Rua Coronel Cabral.

                   Sobre as origens Casarão.                                                   Sobre o Casarão da Família Dias.


  Não poderia deixar de destacar a famosa rampa do cemitério onde os veículos sobem sozinhos. Olhando , parece ser uma subida mas topograficamente esta comprovada é uma descida. A maioria não concorda.

                         

 


  Taiúva teve varias Bandas marciais. Entre elas se destacaram a Banda "Lira de Apolo" e a Banda "Euterpe Taiuvense" formada por ilustres músicos taiuvenses que se apresentavam nas festas e no coreto da praça 9 de julho.

Foto das Bandas , Lira 1934 e Euterpe , 1950.

Primeira foto: Banda Lira de Apolo , nunca foi possível identificar todos os seus componentes. 

  Segunda foto: Banda Euterpe Taiuvense , ( Primeira fila , sentados esquerda p/ direita ). Ademar Fernandes ( barbeiro) , Nego Belizário , Caneta , Zequinha , Alexandre Timossi e Nenê Amazonas. Segunda fila , esquerda p/ direita : Argemiro Garcia , Moacir Crente , Juarez Machado , Orlando Berline , Roque Videira , Hélio Bonfante. ( Terceira fila , esquerda p/ direita ) Totonho Machado , Chico da Maricóta , Rubens Superbia , Dito Batista , Toninho Cunha e José Rubens Carreira.  ( Garoto ) Carlinhos Marques.


                                                       Conjuntos Musicais de Taiúva.

  Primeira Foto:  Esquerda p/ Direita: Toninho Rancoleta , Rato , Moacir Cunha , Iltom Milani e Benedito Bernardo. Segunda Foto: Grupo Seresteiros de Taiúva , 1937.

                       

    Primeira foto: ( Em pé , esquerda p/ direita ) Durval Silva , Orlando Berline , Zequinha , Eduardo Nicolela , Mauro Silva e Braz Preto. ( Agachados , esquerda p/ direita ) Garoto "Desconhecido" ,  Toninho Silva , Gilberto , Galdino e Lim Marchezani. Segunda foto: Ainda não foi possível identificá-los. 


      Taiúva também teve seu poeta. Foi o senhor Ampélio Aurélio Bordignon , Conhecido como o "Palestra" ( Primeira foto ).   Memorial em Homenagem ao Sr. Ampélio Aurélio Bordignon localizado na Praça 9 de Julho. ( Segunda Foto ). 

                                                            

                               Em suas obras se destacam o poema de 1974 , dedicado a todas as Mães Taiuvenses.

Poema Mãe Taiuvense.


Fotos da folia de Santos Reis da fazenda Bijou , seu fundador foi Pedro Pedrinho Furlam (Pedrão).


Ytayúva ou Taiassú , qual a origem do nome ?

    Pessoas que residiam em Taiúva desde o ano de 1894 , afirmavam que esta localidade estava destinada a chamar-se : " Taiassú ".    Supõe - se entretanto que , que os habitantes da vila , entusiasmados com a imponente Amoreira Branca encontrada nas proximidades do local onde ia ser construída a estação ferroviária tenham influído o Dr: Mario Roxo a fazer o batismo definitivo: "Ytayúva " que também designa a Amoreira Branca.  Existiu aqui uma casa de comércio , de propriedade do Sr: Antonio Lourenço Bailão , denominada " Casa Toco " , que até o ano de 1922 , possuía em seu interior um celebre "Toco de Amoreira Branca" que deu nome a este lugar.  E no ano de 1907 , também os moradores de "São José do Paraíso ", fizeram o batismo definitivo de sua terra: "Taiassú"


 Qual é maior , Taiúva ou Taiaçu ?

   Chegando ao final do Século XX , as duas cidades não tem mais tanta rivalidade quanto a alguns anos atrás , os povos são amigos e compartilhamos os mesmos ideais. Como todas as cidades pequenas do interior paulista temos as mesmas dificuldades e os mesmos problemas como por exemplo  o desemprego.  Apesar de nomes parecidos , as duas cidades tem muitas diferenças.  Taiúva tem uma área de 132 Km2 e Taiaçu tem 107 Km2 segundo o IBGE , a população de Taiúva segundo o ultimo Censo  2000  é de 5.506 habitantes  e Taiaçu e um pouco maior , 5.618 habitantes.   Taiúva tem 4.212 Eleitores  e Taiaçu tem 3.867.   A cota parte do ICMS de Taiaçu atingiu  R$ 762.085,57  no exercício de 2000.   A cota parte de Taiúva foi bem maior no período , R$ 989.187,86.  Nos critérios do Governo Federal para distribuição do "bolo" do Fundo de Participação dos Municípios - FPM - as duas cidades foram contempladas com o mesmo valor , R$ 1.133.586,00.


Próxima       Anterior